segunda-feira, 3 de abril de 2017

Resenha: O Refúgio do Marques - Lucy Vargas * Editora Charme*



"Agora você é meu refúgio e, com certeza, o mais belo".Henrik e Caroline não poderiam ser mais diferentes. Ele, o Marquês de Bridington, é um homem selvagem e inapropriado, que vive há anos no campo, fugindo dos fantasmas do seu passado obscuro e repleto de segredos.Ela, Caroline Mooren, a Baronesa de Clarington, é uma jovem destemida, com um passado doloroso, que recebe a missão de reformar a mansão e talvez o marquês, ao menos é o que a marquesa viúva espera. Ele é um caso perdido. Ela é uma mulher com um futuro incerto. Mas juntos, eles se completam e acendem a chama da paixão, que ambos acreditavam estar completamente extinguida, trazendo à tona segredos e temores que ambos escondem.Se reerguer sob o peso do passado será uma batalha que ultrapassará os limites do refúgio que o marquês pensa ter construído, mas será que o amor é capaz de ultrapassar tantas barreiras e vencer, ou eles perderão tudo outra vez? 

Título: O Refúgio do Marquês *Autora: Lucy Vargas* Editora: Charme*Onde comprar? Saraiva | Loja da EditoraGênero: Romance de época* Skoob

Caroline Mooren é uma jovem viúva de 26 anos. Após um casamento forçado, tornou-se a baronesa de Clarington, título esse que carregou por pouco tempo. A morte precoce do esposo à deixou na rua da amargura, dependendo da caridade de uma prima distante.


"Fazia muito tempo que eu não sentia nada, Caroline. E você mudou isso de todas as formas, irritando-me, instigando-me, aborrecendo-me, divertindo-me. Eu sou o culpado."





A marquesa de Bridington é uma senhora de língua afiada. Decida e astuta, propôs a Caroline que cuidasse da sua casa de campo, onde vive seu filho, que segundo ela, deixou o lugar a mercê.


Bright Hall é uma mansão enorme que está a ruínas.Entretanto, os jardins abandonados, o interior sujo e a falta de funcionários será o menor dos problemas que Caroline terá que resolver.


Henrik, o marquês de Brindington, não está nada satisfeito com sua nova "convidada" e pede para ela se retirar diversas vezes, entretanto, a mocinha não se intimida fácil e prossegue com sua missão.


Colocar tudo em ordem não será uma tarefa fácil para Caroline. Mas aos poucos ela vai descobrir que mesmo onde tudo parece perdido uma nova história  pode começar.


O refúgio do Marquês sem dúvidas se tornou um dos meus romances históricos mais queridinhos. Com um ar de A Bela e a Fera, a história vai sendo nos contada, Caroline, uma mulher linda,  carrega as dores de uma relação sem amor, e isso a torna decidida e objetiva, seu único intuito é por tudo no lugar,mesmo sendo muito exigente às vezes. Ela tem um bom coração e se apega aos moradores da casa. 


Henrik, apesar de se mostrar bruto e sem nenhum senso de etiqueta, se mostra forte, cuida sozinho da sua filha e tem que lidar com as loucuras de sua esposa. Isso acabou fazendo que ele perdesse a vontade de viver, ele se apagou, e tornou um homem mal cuidado e pouco sociável, apesar disso as marcas do tempo e do sofrimento não conseguem esconder o belo homem que foi...


Mesmo um não suportando o outro aos poucos eles vão se apaixonando, de uma forma gradativa.


Os romance é leve e divertido e foi flui de maneira gostosa.


A capa é muito bonita, e foi o que mais me chamou a atenção para a leitura.  As páginas são amareladas e a fonte grande, o que permitiu a leitura ser bem agradável.






"Agora você é meu refúgio e, com certeza, o mais belo".
 Aos poucos ela vai descobrindo que muitas coisas na casa estão fora do lugar. A esposa do marquês, que apesar de sua sogra dizer que estava a beira da morte, parece estar longe de ser uma pobre moribunda, e suas loucuras constantes parecem ser parte da rotinas da casa.E Lygia,  filha do casal, que fora praticamente abandonada na casa de uma senhora que mal a alimentava.




“– Eu já li tanta coisa na vida, Caroline. Para alguém como eu, sempre à procura de um refúgio, a leitura é o mais alto castelo existente.”
Para todas as amantes de romance históricos (assim como eu) o livro esta mais do que recomendado! Peguem suas luvas e chapéus e se aventurem no refugio do marquês!!


sábado, 1 de abril de 2017

Resenha: Fica Comigo - Kristen Proby *Editora Charme*





                  Whith me in Seatle 1
         Kristen Proby
I.S.B.N. 9788568056073
Cód. Barras 9788568056073
Número de Páginas 332
Idioma Português
Acabamento Brochura
NÚMERO 1
ANO 2015
Sinopse: Ser confrontada na praia por um estranho atraente não fazia parte dos planos de Natalie Conner, que apenas queria passar uma manhã tranquila tirando fotos. Mas, afinal, porque ele achou que ela estava tirando fotos dele? Quem é ele? Ela só tem certeza de uma coisa: ele é um gato, extremamente romântico e alimenta a sua alma ferida.Luke Williams só deseja que o mundo lhe dê um tempo, então, ver outra câmera apontada para seu rosto quase faz com que ele ataque a bela mulher atrás da lente. Quando ele descobre que ela não faz ideia de quem ele seja, fica intrigado e até um pouco atraído. O corpo de Natalie parece ter sido feito para o sexo, sua boca é atrevida, e Luke não consegue enjoar dela, embora ainda não esteja pronto para lhe contar quem verdadeiramente é.Natalie é uma garota incomum que não lida muito bem com mentiras e segredos. O que acontecerá com esse novo relacionamento quando ela descobrir o que Luke vem tentando esconder?


O livro conta a estória de Natalie e Luke. Eles se conhecem na praia quando Luke exige que Natalie entregue sua câmera. Apesar de ter achado o estranho completamente atraente sua atitude a assusta e ela não faz ideia de que ele é um famoso e que a confundiu com uma paparazzi.


— Não posso mais imaginar minha vida sem você. Você é o centro do meu mundo, Nat. Eu quero te amar, te proteger, lutar com você, ter filhos com você e mimá-la para o resto da minha vida."

Eles acabam se encontrando novamente e a atração que um sente pelo outro é inevitável.O sentimento cresce rapidamente, porém, Natalie não gosta de segredos e  quando descobrir quem Luke realmente é, tudo o que estão construindo juntos irá desmoronar.

A verdade sobre Luke será um dos vários problemas que o casal vai passar. Luke também tem uma família problemática e Natalie possui um passado conturbado que a deixou insegura. Apesar disso o livro é bem leve, muitas partes são divertidas e super fofas. Mesmo assim, a leitura não conseguiu me prender totalmente, pois todos os dramas tinham um desfecho rápido o que não permitia se envolver completamente. 


As descrições dos livros também são supeeeer longas o que me deixou muitas vezes entediada. 

Apesar de ser apaixonada por romances, achei bem exagerado o drama de Natalie e não consegui criar um empatia com ela. 

Mas não se desanime, apesar destes pontos negativos, e parecer que o livro tem tudo para ser deixado em primeiro momento, a autora consegue desenvolver bem a escrita. Fica Comigo é o primeiro livro de uma série fantástica que leva o nome With Me in Seattle, e eu realmente me encantei por seus personagens. Apesar de um começo tedioso recomendo a série para todas as amantes de romances, vocês iram vibrar com Natalie e Luke, as vidradas em romances eróticos também recomendo que deixem um espacinho na sua estante para With Me in Seattle, Luke sabe ser beeem quente (6) .

quarta-feira, 29 de março de 2017

Resenha:Rich e Mad - William Nicholson * Galera Record*

Rich e Mad
Rich e Mad
William Nicholson
Editora Galera Record
 páginas SARAIVA

Maddy Fisher decidiu se apaixonar. E não se trata de qualquer tipo de paixão: precisa ser louca, envolvente, absoluta. E, aos 16 anos, acredita que é só questão de se soltar um pouco mais. Quando Joe, colega da turma de teatro, começa a lhe mandar e-mails, ela sente que chegou a hora. Do primeiro amor, primeiro beijo, primeiro… tudo. Joe está saindo com Gemma. Mas só porque não quer ferir os sentimentos da menina. Afinal, eles namoram desde sempre. Logo logo, Mad vai poder contar a todos que tem um namorado. O virtual vai invadir o mundo real. E ela vai deixar de ser a esquisitona solitária: com amigas, mas sem par.
Rich Ross também está em busca de amor. E vai fazer acontecer! O problema é que em meio ao preconceito, mentiras, pornografia, literatura, o sentimento se torna bem difícil de encontrar. Afinal, amor verdadeiro pode vir nos mais diversos formatos. É possível que uma pessoa que ele nunca imaginou sob essa ótica seja a que vai tocar seu coração?
Os caminhos de Rich e Mad estão prestes a se entrelaçar. Com honestidade e delicadeza, a história clássica do ‘garoto encontra garota’ ganha um novo significado, agora repleto de descobertas e de aprendizado.



“Há dois tipos de amor. Há o amor que você recebe de alguém e há o amor que você dá para alguém. As pessoas acham que a melhor parte do amor é ter alguém amando você. Mas acho que a melhor parte é ter alguém para amar. Alguém que te permita amá-lo.”


Maddy Fischer, ou Mad, tem 17 anos e acaba de iniciar seu 2º ano no ensino médio. Ela decidiu que esse ano seria diferente, ela finalmente encontraria um namorado, não um namorado qualquer, ela iria realmente se apaixonar.

Em uma tarde qualquer Joe Finnigan, um garoto do último ano e mega popular, entra na loja da família de Mad, e depois de uma conversa agradável, a garota decide que ele seria um cara legal por quem se apaixonar.

Pensando nisso ela se inscreve para um peça de teatro que Joe também estaria. Entre flertes e trocas de e-mails tudo parecia bem, exceto por Gemma, a namorada de Joe há dois anos.

Mad acredita que Joe está com Gemma por pena e logo terminará com ela para que iniciem seu romance. Porém, em sua conversas virtuais e reais muitas coisas não estão se encaixando.
"E assim para o resto da minha vida... O segundo lugar. Sempre imaginando como teria sido chegar em primeiro."
Rich Ross, é da mesma turma de Mad e sua amiga de infância Grace, por quem mantêm uma paixão secreta. Os caminhos de Rich e Mad acabam se encontrando quando o garoto bate em um poste e ele ri, arrependida do que fez ela tenta puxar assunto, Rich então, decide pedir para Mad que o ajude com Grace.

Será que Rich e Mad finalmente irão conquistar seu verdadeiro amor?

Rich e Mad é o primeiro livro YA de William Nicholson. É contado em 3º pessoa e seus capítulos alternam entre a história de Mad e de Rich.

Mad é uma garota comum, tem amigas, porém não é popular, sua maior preocupação é encontrar seu primeiro amor. Inicialmente, ela se mostra uma garota passiva e até mesmo imatura, entretanto, ela vai amadurecendo no livro e acaba se tornando confiante e bem resolvida. Consegue ajudar sua família e amigos em assuntos que antes ela mesma desconhecia.

Rich é uma garoto, que segundo seu amigo Max, vive no passado. Ele é sensível, escreve poemas, ouve músicas antigas, cuida da sua família e se recusa em ter um celular.


"Engraçado como fazer de sua vida uma bagunça completa e se sentir um completo perdedor te obriga a finalmente agir."
Os dois personagens são fáceis de se gostar. Apesar do típico exagero e drama adolescente. O livro não tem muitos acontecimentos, e toda a trama gira em torno das paixões dos dois personagens.

Quanto a diagramação, o livro é bem espaçado, as letras são de tamanho razoável e as páginas são amareladas. A capa é bem fofa e passa bem a ideia de romance adolescente. 

Recomendo o livro para todos que gostam do gênero YA e queiram uma leitura leve e agradável, a história é bem simples, porém acredito que consiga passar sua mensagem.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Resenha: Destrua-me (Série Wrecked) *J.L. Mac*







Título: Destrua-me
 Autor: J.L. Mac
Editora: Charme
Ano: 2015
 Páginas: 263  


Sinopse: Aos vinte e cinco anos, Josephine Geroux é uma “Zé ninguém”, segundo sua própria definição e, apesar de não querer ser assim, ela se contenta com isso. Crescer órfã a transformou numa pessoa dura e indiferente aos outros, até que ela conhece um homem estranhamente familiar, com um rosto que a assombra por razões que ela não consegue entender. Mesmo fazendo questão de evitar interações com os outros, a vida de Josephine se entrelaça com a de Damon Cole, o enigmático estranho, e antes que se dê conta, ela se entrega à única pessoa que ETA perto o suficiente de destruí-la. Envolvente, sensual e extremamente emocional, Destrua-me irá te seduzir, apaixonar e conduzir a uma montanha russa de sentimentos, com a dolorosa vida de Josephine.

                        ********
 Josephine, ou Jô como prefere ser chamada, tem 25 anos, trabalha em uma pequena livraria e mora em um velho apartamento em Las Vegas. Apesar de mal conseguir se sustentar com o dinheiro que ganha, Josephine é apaixonada pelo que faz, e a livraria é tudo o que ela tem. Seus pais morreram em um trágico acidente quando ela tinha nove anos, e a garota se viu órfã em um país estrangeiro. Josephine não suportando a vida que as crianças órfãs levam em lares adotivos decidiu ir morar na rua. Para fugir do sol e dos perigos das ruas ela ia para a biblioteca municipal, e lá descobriu seu refúgio, os livros. Sr. Sutton, o dono da livraria, apesar de ser um velho rabugento e boca suja, tem um bom coração. Deu a Jô roupas e um emprego, e assim ela conseguiu alugar seu velho apartamento e comprar seu carro. Apesar de sua vida ser uma droga, Jô é muito grata pelo que tem. A vida a tornou dura e seu coração se fechou após a perda trágica dos pais.  Entretanto, tudo muda a partir do momento que o sedutor Damon Cole entra em sua vida. Logo no primeiro momento eles percebem que tem uma forte ligação, mas Jô não consegue entender o porquê se sente assim em relação a esse homem, a única coisa que ela quer é sexo bom, e isso ele sabe oferecer (e muito bem). E é assim que Damon decide propor a ela um acordo, eles continuam se encontrando ( e transando) até descobrirem o que os liga .... Porém essa revelação será Destruidora! Destrua-me é o primeiro livro da série Wrecked, e conta a trágica história de Jô através dos olhos dela. Esperei ansiosamente pelo lançamento desse livro e confesso que gerei grandes expectativas sobre ele, talvez seja por isso que tenha me decepcionado um pouco. Espere! Não me leve a mal... O livro é ótimo, a escrita de J.L. Mac é bem articulada e a leitura fluiu super bem, porém, pela proposta que o livro trazia acho que ele tinha bem mais potencial. Jô viveu uma grande tragédia, sua vida é marcada por dor e sofrimento, ela  inicialmente era uma personagem forte, marcante e me cativou totalmente. A partir do momento que começa a se relacionar com Damon ela tenta se convencer que não pode se envolver. É aí que a história começa a ficar clichê... Ela se torna frágil e até mesmo dependente desse sentimento, mesmo ela dizendo que não queria se envolver ela foi praticamente morar com o cara que mal conhecia, e ele começou a lotar ela de presentes, a típica bonequinha de luxo. Então nesse quesito achei que o livro ficou um pouco forçado e até mesmo contraditório. Mesmo com esses pontos negativos eu gostei muito da leitura, a história apresentada foi bem original e o final foi surpreendente. Estou esperando ansiosamente pela continuação da série! 



  “No minuto em que eu te vi naquela loja, tentei imaginar o quão bom seria o seu gosto. – Ele enfia os dedos de volta em sua boca e, lentamente, os retira. – Eu não estava nem perto. Você tem o gosto da perfeição.” 

“– Essa sua boca suja é bem engraçadinha também. – Ele se inclina para frente e pressiona seus lábios nos meus e eles têm um gosto delicioso. Nós bebemos um ao outro avidamente por um longo tempo. (...)” 

“(...) Você pode não perceber isso ainda, mas você é minha. Não é porque estou dizendo. Você é minha porque é assim que é. Sinto que te esperei a vida toda. (...)” 


“Quero que entenda uma coisa, Josephine. Minha palavra é uma só, não volto atrás. Afirmo o que eu disse ontem à noite. Quero você. E seria louco se te deixasse ir embora. (...)”

quarta-feira, 8 de março de 2017

Cadê você Bernadete? – Maria Sample

Que livro delicioso! Posso afirmar que esta foi uma leitura fora do padrão. Não tenho o hábito de leitura com muitos YA mas este foi um tiro certeiro, cheio de bom humor, bem escrito e ainda com mistério.
A narrativa nos traz  a história de como uma arquiteta genial parou de criar (mesmo com tantas adversidades Bernadette é dona de um bom humor inigualável)- e se transformou em uma mãe excêntrica que foge da vida até sua filha decidir que quer ir para o Alasca.
Bernadette é uma personagem que  traz toda as problemáticas possíveis de uma mulher que passou por frustrações no trabalho e  por sua incontrolável mania de dizer o que pensa das pessoas.
A busca de Bernadette é um dos eixos centrais da história. Mas o que você lê não é sobre a busca de Bernadette. Eu sei.. Fica um pouco confuso  porque o livro é narrado por Bee, filha de  Bernadette, através de relatos,  cartas, emails, bilhetes e sei lá mais o que vocês  encontrem escrito, de várias pessoas, sempre intercalados.
Bee era uma menina de coração frágil e de uma alma muito parecida com a mãe.  Ela pede de presente de formatura a seus pais uma viagem à Antártida e daí que os problemas de Bernadette começam a crescer, juntamente com Audrey, sua vizinha e  inimiga, que tenta insistentemente transformar a sua vida num inferno.  Se depender de Bernadette (e de sua assistente virtual na Índia) essa viagem não vai acontecer!!!
BERNADETTE NÃO QUER VIAJAR!!!! Mas não pode negar isso a sua filha. E se mete em tanta confusão para tentar fugir disso que sua vidinha de negação finalmente entra em colapso.
Foram as 400 páginas mais prazerosas que eu li! Me decepcionei com o desfecho porém o livro todo foi muito empolgante.
Um grande beijo e boa leitura!
Arita Souza
Conheça meu canal no youtube clicando no link : Dobradinha Literária

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Resenha: Amy & Matthew *Galera Record*



Peso0.4000
Altura21.000000
Largura14.000000
Profundidade1.000000
I.S.B.N.9788501070180
Cód. Barras9788501070180
Número de Páginas336
IdiomaPortuguês
AcabamentoBrochura
NÚMERO1
ANO2015
Comprar



Sinopse:

Amy e Matthew não se conheciam realmente. Não eram amigos. Matthew sabia quem ela era, claro, mas ele também sabia quem eram várias outras pessoas que não eram seus amigos.Amy tinha uma eterna fachada de felicidade estampada em seu rosto, mesmo tendo uma debilitante deficiência que restringe seus movimentos. Matthew nunca planejou contar a Amy o que pensava, mas depois que a diz para enxergar a realidade e parar de se enganar, ela percebe que é exatamente de alguém assim que precisa.À medida que passam mais tempo juntos, Amy descobre que Matthew também tem seus problemas e segredos, e decide tentar ajudá-lo da mesma forma que ele a ajudou.E quando a relação que começou como uma amizade se transforma em outra coisa que nenhum dos dois esperava (ou sabe definir), eles percebem que falam tudo um para o outro... exceto o que mais importa.• Cammie McGovern é uma das fundadoras do Whole Children, uma instituição que oferece aulas extras e programas de auxílio para crianças com necessidades especiais. • Amy e Matthew é o seu primeiro livro destinado ao público jovem adulto. • Para os fãs de Eleonor & Park, nas listas de mais vendidos do país.

Uma garota com paralisia cerebral e um garoto com transtorno obsessivo compulsivo (TOC), esses são Amy e Matthew. Os dois sempre estudaram na mesma escola, porém nunca se falaram, apesar de Matthew sempre tê-la observado e até mesmo percebido quando seus peitos começaram a crescer. Entretanto, uma redação de Amy mudou tudo. Em seu texto Amy dizia o quanto se sentia sortuda por sua deficiência e que era muito feliz por ser assim e não como as outras garotas que se sentiam na obrigação de seguir o que a sociedade as impunha. Matthew não concordava, e ao ser questionado por Amy a disse que ela não poderia saber como se sentiam as outras garotas, porque ela vivia cercada de adultos e não tinha nenhum contato com seus colegas de classe. Isso foi um choque de realidade para Amy que tomou uma decisão: em seu último ano de colégio ela faria amigos!
Amy e sua mãe passaram a recrutar novos auxiliares para a garota, e a partir de agora todos seriam colegas de classe, o trabalho seria remunerado e consistia em ajudar Amy com o andador e seus materiais e levá-la ao banheiro. A garota também tinha problemas na fala e usava um aparelho para se comunicar, o que atrapalhava muito sua vida social, já que era estranho se comunicar através de um computador, pensando nisso, a mãe de Amy também deu como missão aos novos auxiliares apresentarem Amy a colegas de escola e lhe entregar um relatório semanal.
Isso seria um problema para Matthew, já que ele não tinha nenhum amigo. Entretanto Amy o queria por perto, ele fora sincero com ela e muito atencioso nos primeiros dias como auxiliar, havia sido uma exigência de Amy ter Matthew na equipe, que contava também com Sarah, Chloe e SanJay.
Aos poucos Amy começara a se tornar amiga de seus auxiliares, principalmente de Matthew. Ela havia descoberto sobre seu transtorno e agora também queria retribuir tudo o que estava fazendo por ela o ajudando a superar sua doença. Aos poucos eles passam a perceber que entre eles existe mais do que uma simples amizade, entretanto as deficiências de ambos serão o menor obstáculo que eles terão que enfrentar.
Amy & Matthew escrito por Cammie McGovern é um romance New Adult que fala sobre superação, amizade, amor e principalmente sobre aceitação. Matthew desenvolveu seu transtorno após a separação de seus pais, mesmo com todas as dificuldades impostas a ele por sua doença ele não deixa de ser um fofo, sempre se preocupando com Amy e vendo ela sempre através de sua deficiência, mesmo Amy tendo uma paralisia que a deixa torta e com a boca aberta, até mesmo babando, Matthew nunca deixa de falar como a acha linda, como ama seu cabelo e como se sente quando está com ela.  Amy é engraçada, muito inteligente e mesmo estando apaixonada por Matthew acredita que ele não se interessaria por ela e quer ajudar seu melhor amigo com Sarah, uma de suas auxiliares. É impossível não se apaixonar pelos dois e torcer para que eles fiquem juntos!

“Não sei se sou bom em muitas coisas, mas sou bom nisso. Sou bom quando estou com você”.




“Concluí que é possível amar alguém por razões inteiramente altruístas, por todas as suas falhas e fraquezas, e ainda assim não ter este amor correspondido”.





quarta-feira, 22 de junho de 2016

Resenha: Doutrinados - Trisha Leaver & Lindsay Currie

Olá pessoal! 
Hoje vamos conhecer um pouco sobre a história de Doutrinados, que me chamou a atenção pela sua capa e sinopse muito bem construídas.



Título Original: Creed
Autoras: Trisha Leaver & Lindsay Currie
Editora: Gutemberg
Tradução: Rodrigo Seabra
Ano: 2016
Páginas: 208
Onde comprar: SaraivaSubmarino e Amazon


 Sinopse:

 Parados no meio de uma estrada deserta, sem gasolina e precisando de abrigo contra o frio e a neve, Dee, Luke e Mike vão buscar ajuda na cidade mais próxima, Purity Springs, a única esperança dos jovens de conseguir combustível para seguir viagem. Mas as ruas do vilarejo estão vazias e o local parece desabitado…
 As dezenas de casas idênticas, tanto na aparência quanto no silêncio que carregam, são assustadoras e, para um lugar abandonado, está tudo organizado demais. Conforme vão se arriscando pelas ruas ermas de Purity Springs, os três viajantes descobrem indícios perturbadores da vida que se levava ali.
 Que tipo de gente mantém um cemitério de cruzes sem nome? Que tipo de crença faria com que todos os moradores de uma cidade tivessem em suas casas palmatórias, bisturis e um livro sinistro para doutrinar crianças e pecadores por meio da dor e do flagelo?
 Sem saída e sem contato com o mundo exterior – celular e internet não funcionam –, Dee, Luke e Mike encontram apenas dúvidas e os vestígios de um terror inacreditável.
 Mas… uma sirene toca em algum lugar lá fora. Talvez a cidade não esteja tão vazia assim…


Resenha:


 Confesso que quando vi a capa já fiquei muito curioso para conhecer a história. Logo pensei que teria algo muito parecido com a história da franquia de jogos e filmes de Silent Hill, pela forma como ela vai se desenvolvendo, apesar de não ter a presença de nenhum Pyramid Head ou outros seres demoníacos, podemos ver o quanto um ser humano pode ser manipulador e acreditar cegamente em algo a ponto de machucar seus próprios filhos para doutriná-los.
 Quando Dee, seu namorado Luck e Mike chegam a cidade a encontram deserta, como se todos os moradores tivessem desaparecido, já que as panelas estavam ainda no fogão cozinhando os alimentos e tudo parecia ter sido deixado as pressas. A cada passo por Purity Springs vão descobrindo o quão estranha ela é, com ruas totalmente iguais iguais, casas com o mesmo padrão e as mesmas cores.
 Tudo muda assim que encontram Joseph, um dos adolescentes dessa cidade e a verdade sobre o que realmente é Purity Springs começa a aparecer. Depois disso, o único objetivo em comum é sobreviver e conseguir sair da cidade o mais rápido possível, o que infelizmente não é tão simples assim.
 Nesse livro as duas autoras conseguiram passar com clareza os sentimentos de cada personagem, fazendo com que o leitor passe com o decorrer da história a ter as mesmas emoções, tanto que ao acabar o livro fiquei com quase a mesma indignação que a Dee, um personagem muito importante que é forçada a reviver a sua infância e todos os maus tratados que recebeu do seu pai. 
 A leitura é bem tranquila e a edição do livro está de parabéns. A capa dispensa comentários e cada uma das folhas no canto tem uma marca de sangue escorrendo que aumenta conforme o livro vai acabando.
 Doutrinados me impressionou muito e ultrapassou as minhas expectativas pela forma como nos envolvemos e rapidamente nos aproximamos da situação vivida por eles. Espero que vocês gostem e vale muito a pena a leitura!





segunda-feira, 4 de abril de 2016

Joyland - Stephen King

  

Editora: Objetiva - Suma de Letras
Páginas: 240
Ano: 2015


Sinopse:
  Um pequeno conselho: não se aventure na roda-gigante em uma noite chuvosa. 
 Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer.
  Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais.

  O livro Joyland foi publicado pela primeira vez nos EUA pelo selo Hard Case Crime, especialista no gênero policial, em junho de 2013, com a mesma capa presente na edição brasileira. Em todo o livro, uma das frases que mais me chamou a atenção foi a seguinte:

“Quando se trata do passado,
 todo mundo escreve ficção.”

  Toda a trama é narrada em primeira pessoa por Devin Jones (Dev), que nos traz em sua narração uma imensa riqueza de detalhes pontuados pela observação do seu eu mais velho, que também é escritor, onde de outra forma, na monha opinião, não teríamos uma leitura tranquila e interessante.
  Quando vi a capa pela primeira vez, pensei que estava diante de outra história assustadora, como It - A Coisa, mas toda a parte que esta relacionada com as investigações sobre o fantasma de Linda Grey, morta no Horror House o trem fantasma de Joyland e alguns eventos sobrenaturais, ficam em segundo plano, dando lugar ao mesmo tempo por uma busca de identidade vivida por Devin e suas reações aos seus relacionamentos amorosos. Apesar de no início a escolha do autor parecer um pouco estranha, ela permite que o suspense seja amenizado, mas não esquecido e possamos nos aproximar mais dos personagens, encarando os fatos pelo olhar de Dev.
  Como sempre, Stephen King conseguiu construir personagens muito cativantes e cheios de personalidade, além de criar um ambiente muito bem estruturado de um parque itinerante, tendo até alguns jargões próprios, como "bobs" ou "caipiras", que se referiam aos visitantes. 
  Nele trabalhavam equipes com diferentes nomes de raças de cachorro, formadas por Ajudantes Felizes, uma espécie de ajudante geral, e as Garotas de Hollywood, jovens com vestidos verdes sobre patins que tiravam fotos dos caipiras.
  Devin Jones é um jovem universitário muito carismático, realista e confuso, que estava a procura de um novo emprego durante as ferias de verão. Acaba encontrando em Joyland um refúgio, já que logo nos seus primeiros meses de trabalho termina com sua namorada Wendy keegan. Em meio a pensamentos suicidas ocasionais e o trabalho duro no parque, começa as suas investigações sobre o caso, após descobrir em sua primeira visita a existência de um fantasma e mais tarde saber que se tratava de um homicídio. Graças a sua curiosidade e o desejo de ver o fantasma, além das pesquisas de Erin, uma grande amiga e Garota Hollywood, não chegaríamos a identidade do assassino e a descoberta dos seus outros crimes.
  Mike, uma criança que apesar da idade sabe enfrentar como um adulto a sua doença e nos impressiona pela sua atitude e personalidade forte, tem um papel fundamental para o desfecho do livro devido ao seu dom, ligado a mediunidade, o que contribuiu para conhecermos alguns detalhes importantes sobre a Linda Grey, mesmo que estranhos no começo, mas que foram determinantes para a descoberta do serial killer, que estava tão próximo. 
  O desenvolvimento da história ocorre sem muitas complicações, contando com poucos eventos sobrenaturais, mas essenciais para a continuação dos fatos, sendo assim uma ótima escolha para quem ainda não conhece Stephen King ou queira vê-lo numa versão mais light.
  A edição do livro está de parabéns e vale muito a pena a leitura, já que se trata de um livro com pouco mais de 200 páginas, nada muito demorado, onde quando percebemos já estamos nas últimas páginas tendo quase a mesma sensação que Devin ao pensar que como não tínhamos percebido antes a identidade do assassino.

  Boa leitura!

quinta-feira, 31 de março de 2016

Resenha: Num piscar de olhos - Teodora Kostova *Editora Charme*







Resenha: Num piscar de olhos - Teodora Kostova
Editora: Charme
Skoob
Num piscar de olhos - Stella passou por grandes perdas em sua vida. Lidou com a morte muito jovem e com a saudade da sua melhor amiga, que foi morar na Itália com a mãe. Quando a vida está começando a entrar nos eixos, a notícia de que ela está com câncer a deixa novamente sem chão. Após o doloroso tratamento, os médicos acreditam que Stella está finalmente recuperada e ela decide passar um tempo em Gênova, na Itália, para reencontrar sua prima e melhor amiga, antes de retornar ao médico para fazer o exame que determinará se ela está realmente curada. O que ela não imaginava é que a Itália vai lhe dar uma nova razão para viver.
Max se apaixona por Stella à primeira vista, mas conquistá-la não será fácil, já que há muita coisa que pode mantê-los separados para sempre. Após muita luta, Max finalmente vence sua resistência e conquista seu lugar ao lado da mulher que ama.

Mas será que Max e Stella serão fortes o suficiente para lutar não só por seu amor, mas também por suas vidas?

Hoje a resenha é de um livro que estava aguardando ansiosamente o lançamento. Aguardei incansavelmente a visita do carteiro com o meu amado livro, e ai veio a surpresa ... A fofa da editora Charme  me mandou o autógrafo da autora junto!!! Imagine uma blogueira surtando?!




Depois de cheirar e abraçar meu queridinho, comecei a lê-lo imediatamente. 

Stella perdeu seu pai e irmão em um acidente de carro, sua tia, que perdeu o marido no mesmo acidente, decide se mudar para a Itália, e leva consigo sua filha, a melhor amiga de Stella. Sua família, que era grande e feliz, fora reduzida a apenas Stella e a mãe. Não bastando tanta tragédia ela ainda descobre um câncer.

Depois de um longo tratamento contra o câncer ( e ainda com a possibilidade da doença voltar a qualquer instante) nossa mocinha decide ir para Itália para ficar com a sua prima e tia. Ela vai com a expectativa que a viagem seja as férias de sua vida, e realmente o passeio tem tudo a prometer. 

Chegando lá, ela conhece Max, um salva vidas muitoooo gato. A atração é mútua e eles começam um romance avassalador. 



''Suas palavras estavam dizendo uma coisa, mas seu corpo tinha uma opinião completamente diferente. Max gostou disso. Ele não conseguia se lembrar de quando foi a última vez, se houve alguma, que uma garota tinha tido esse tipo de reação apenas por estar perto dele. Claro, a ele não faltava atenção feminina, mas não era nada assim.''


O problema é que Stella esconde sua doença, não conta que o câncer pode voltar e que o tratamento já não faz mais efeito nela. Ela tenta a todo custo não se envolver emocionalmente, mas ela não resite aos encantos do rapaz e se entrega nessa grande paixão.

E nesse drama todo a estória vai se desenrolando....

O romance, como eu disse, tem bastante e coloca bastante nisso  drama. A mensagem que o livro tenta passar é muito bonita, a autora relata a dor da perda, o medo da morte e a esperança de um final feliz. Ela tenta passar a todo momento que devamos nos deixar levar e viver intensamente, não devemos apenas existir!

''Viver é a coisa mais rara do mundo, a maioria das pessoas apenas existe, isso é tudo.'' 

Num Piscar de Olhos, como muitos outros romances, é bem previsível, mas isso não perde seu encanto. A leitura, apesar de parecer bem forte, é leve e li suas 400 páginas de uma forma bem gostosa. Ele segue uma linha bem clichê, porém com uma pegada hot, os Max e Stella protagonizam cenas pra lá de quentes!

Max é o homem que toda mulher deseja encontrar nas férias. Lindo, sedutor, carismático e sensível. Stella tem todo esse drama em sua vida, tem horas que chega a irritar, e ele é todo paciente, um verdadeiro mocinho. 

Recomendo o livro para todas as amantes de romance. Vocês iriam se apaixonar Num Piscar de Olhos!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Dragões do Éter - Caçadores de Bruxas Vol.01 Raphael Dracon


Editora: Leya                              
Páginas: 440                                    
Publicado em: 2010
“Se os sonhos são forjados no éter hoje… nós iremos tocar na quinta-essência.”
 Nova Ether é um mundo protegido por poderosos avatares em forma de fadas. Um dia, porém, cansadas das falhas dos seres racionais, algumas delas se voltam contra as antigas raças. E assim nasce a Era Antiga.
Temos neste livro um narrador que passa o tempo todo causando sensações estranhas em nós leitores. O livro é escrito em 3 atos principais e está repleto de referências sobre as histórias dos contos de fadas. A diferença é que elas  possuem uma realidade muito mais próxima da nossa, mais cotidianamente humana assim dizendo.
O primeiro ato define muito mais a estrutura de Nova Ether, sua organização, seu reinado. Já no segundo e terceiro ato, o nosso narrador deixa os capítulos mais soltos e sequenciais   (cito isso porque no primeiro ato.. santo deus!!! ele cortava tudo mudando de assunto quando estávamos quase no ápice de uma ação!!!)
O reino de Nova Ether consegue sua paz após um longo período de turbulências, quando Primo Branford, o filho de um moleiro, reúne o que são hoje os heróis mais conhecidos do mundo e lidera a histórica e violenta caça às bruxas.
Primo Branford é hoje o rei de Arzallum, e por 20 anos saboreia, satisfeito, a Paz. Nos últimos anos, entretanto, coisas estranhas começam a acontecer… Conheceremos então os protagonistas que marcaram as muitas histórias infantis em um enredo de arrepiar.
Uma menina vê a própria avó ser devorada por um lobo marcado com magia negra. Dois irmãos comem estilhaços de vidro como se fossem passas silvestres e bebem água barrenta como se fosse suco, envolvidos pela magia escura de uma antiga bruxa canibal e sua casa de doces.
O navio do mercenário mais sanguinário do mundo, o mesmo que acreditavam já estar morto e esquecido na Terra do Nunca, retorna dos mares com um obscuro e ainda pior sucessor. E duas sociedades criminosas entram em guerra, dando início a uma intriga que irá mexer em profundos e tristes mistérios da família real.
Este é só o início de uma grande história, divida em três volumes, escrita por um autor nacional que ganha seu merecido destaque.


Boa Leitura!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Jogador Número 1 – Ernest Cline

images (1)
Lançado no Brasil pela Editora Leya em 2012, é o primeiro livro do autor com muitas críticas positivas e diversos prêmios relacionados a ficção, com um roteiro praticamente pronto para se tornar um mega sucesso no cinema (Ernest Cline é roteirista diga-se de passagem).
Sinceramente, sou uma remanescente dos anos 80 (período que dá base à todos os elementos do livro com sua cultura pop e seu vídeo gamer ) mas não tinha vivenciado tanto tudo que é descrito no livro (música e jogos). Fiquei completamente apaixonada e sem fôlego até a última linha da história.
Tudo se passa em 2044, com a morte de James Holliday, um multibilhardário criador do universo virtual OASIS ( tenha como base a idéia do famoso jogo Second Life).
Nosso mundo se encontrava em uma grave crise econômica, sem recursos naturais para suprir as necessidades das pessoas, como por exemplo andar de carro ou mesmo saciar a fome do povo. Os recursos que sobraram, ficaram nas mãos dos que possuíam muito dinheiro, enfim, um mundo distópico.


Entre tantas contradições, as pessoas se refugiavam neste mundo virtual criado por Holliday. Existia programas do governo onde se recebi um visor e luvas com sensores para as pessoas poderem viver uma vida (que já não seria tão viável no mundo real) alternativa, suprindo assim, as dificuldades existentes.
Dentro desta problemática surge nosso personagem principal, Wade Watts, mais conhecido como Parcival. Um jovem muito tímido, que morava com sua tia e mais doze pessoas em uma espécie de trailer, todos amontoados. Wade perdeu a mãe para as drogas muito cedo e ficou aos cuidados desta tia também cheia de vícios.
Neste OASIS, as pessoas passam grande parte do seu tempo, estudam, trabalham, recebem financeiramente pelos seus desempenhos neste ambiente virtual e foi ali que Wade achou uma maneira de levar a sua vida, encontrar amigos e até mesmo se apaixonar.
Com a morte de Holliday, foi lançada uma caça ao ovo ou easter egg. Os jogadores e aficcionados pela cultura pop dos anos 80 deveriam desvendar o segredo para encontrar o prêmio de Holliday através do livro de Anorak (sua herança virtual, o OASIS, e sua herança financeira, já que ele não tinha família, e nem filhos). Um aglomerado de orientações e informações que, quando desvendadas, levariam o jogador a passar por 3 portais para entrar o ovo.













Um Gunter, é a abreviação de ” Egg Hunter”, ou seja, um usuário do OASIS que procura o easter egg de Halliday.
Gunters são compostos de milhões de pessoas de todo o mundo que gastam todo o seu tempo à procura do easter egg de Halliday. Embora cada usuário OASIS, tenha um dia alegado ser um gunter, o número real começou a diminuir ao longo dos anos. Conforme o tempo passava e a primeira pista não tinha sido encontrado, parecia que a caçada ao Easter Egg era um mito criado pela loucura de Halliday em seus últimos meses de vida.
Gunters podem embarcar na missão sozinho ou participar de um clã Gunter; embora clãs de Gunters forneça camaradagem e apoio entre os membros,uma regra estipula que caso um do integrantes ache uma pista ou encontra o easter egg, eles serão obrigados a partilhar a informação com todos os outros membros. Por essas razões, muitos Gunters escolhem embarcar sozinhos em sua missão, com um pequeno grupo de amigos, outros participam de um clãs.
Personagens
  • Wade Watts/ Parzival: é o protagonista, um órfão pobre das “pilhas” que circunda a metrópole de Oklahoma. No OASIS Wade é conhecido como Parzival, fazendo uma referência ao famoso cavaleiro do rei Arthur que dedicou sua vida em busca do Graal, ja que wade decica sua vida na busca do easter egg de Halliday.
  • Aech: é a melhor amigo de Wade, além de um companheiro/rival na caça do easter egg de Halliday.
  • Art3mis – a famosa gunter e blogueira do Canadá. Wade é apaixonado por ela, isso é um problema por causa da competição na busca do easter egg
  • Nolan Sorrento – um funcionário de alto escalão do Innovative online Industries – IOI, uma empresa multinacional que atua como um provedor de serviços de Internet para a maior parte do mundo e espera para assumir e rentabilizar o OASIS . Sorrento é chefe de Oology (a ciência da busca de ovo de Páscoa de Halliday) Division da IOI, e serve como o principal antagonista do romance
  • Daito and Shoto – Gunters japoneses que trabalham como um time na busca do easter egg. Eles têm uma relação em geral tensa, mas às vezes amigável, com Wade, Aech, e Art3mis.
  • James Donovan Halliday – Criador do OASIS. Ele é baseado nas personalidades de Howard Hughes e Richard Garriott.
  • Ogden Morrow – Co-criador do OASIS e o melhor amigo de James Halliday. Ele é um dos poucos no mundo que é rico e pode pagar luxos que a maioria das pessoas não pode. Sua aparência e personalidade são descritos como sendo ” um cruzamento entre Albert Einstein e Papai Noel . ” Apesar de ser rico, ele é humilde e respeita o jogo de seu amigo falecido e caçada pelo easter egg.
Este é um livro que vale a pena, que traduz uma fase importantíssima do desenvolvimento cultural e tecnológico para a humanidade, onde as pessoas ainda tinham contato umas com as outras e conviviam em um mundo cheio de possibilidades.
Este livro trabalha muito a temática de aceitação, vida em sociedade e desenvolvimento tecnológico. Cabe você escolher qual deseja viver, a real ou a realidade virtual.
Me faltam palavras para fechar esta resenha. Ainda estou com a respiração acelerada com tudo que visualizei através da leitura e super orgulhosa de ter podido compreender a proposta de uma narrativa tão bem amarrada a um período que puder vivenciar na vida real..kkk
Fica a dica de algo muito interessante. Uma indicação para professores que desejam compreender mais a ligação da geração do novo século pelo vício em informatização.


© | 2015 | Mais um livro na estante | Todos os direitos reservados |